O Que É Programação Neurolinguística

Hoje vamos falar sobre o que é programação neurolinguística.

A programação neurolinguística começou, basicamente, com Richard Bandler e Frank Pucelik, posteriormente também, com John Grinder.

Eles se conheceram na faculdade de psicologia em Santa Cruz, na Califórnia.

Eles notaram que existiam diversas abordagens da psicologia e nenhuma delas conseguia explicar resultados práticos e previsíveis. O que funcionava para um paciente, não necessariamente funcionava para outro e ninguém sabia o porquê disso.

Assim, começaram a estudar os grandes terapeutas da época, aqueles que apresentavam maior eficiência e melhores resultados. No caso, Fritz Perls e Virgínia Satir.

Então, mergulharam de cabeça nos processos utilizados e montaram um extenso estudo. Fizeram um grande levantamento dos padrões que eram utilizados para se conquistar grandes resultados nas terapias.

Em seguida, colocaram na prática esses padrões de tratamento. Basicamente, eles descobriram que sim, existia uma fórmula universal que poderia ser aplicada a qualquer pessoa e apresentar resultados válidos e significativos.

Assim nasceu a Programação Neurolinguística – PNL.

Como a PNL funciona

Basicamente, a PNL consiste em pegar algo que funciona e fazer uma espécie de engenharia reversa de como os processamentos mentais são feitos.

Encontra-se algo extraordinário, como por exemplo uma pessoa que superou sozinha um crise de ansiedade, sem ajuda de nenhuma terapia. Através de testes com imagens e sons selecionados, é possível desenvolver certas fórmulas e replicar essas fórmula em outras pessoas.

Através dessa engenharia reversa, desenvolve-se um passo a passo a ser utilizado e auxiliar outras pessoas que possuem o mesmo problema.

Desse modo, a programação neurolinguística é extremamente pragmática e qualquer pessoa pode utilizar e ter excelentes resultados.

Primeiramente, para que se compreenda bem a programação neurolinguística, é necessário entender o seguinte: tudo que sabemos sobre o mundo é obtido através dos nossos cinco sentidos – visual, auditivo, olfativo, gustativo e tato.

Logo, são esses cinco sentidos os responsáveis por programar o código base de sua mente. Eles são os responsáveis pela sua consciência e suas emoções.

Modelagem na PNL

Nossas emoções são nada mais do que rótulos, nomes, que damos a um conjunto de sensações físicas.

Assim, com os diferentes tipos de imagens, sons e sensações que você capta do mundo ao seu redor, você consegue mudar suas emoções.

Ao ser capaz de controlar suas emoções, você certamente será capaz de conversar diretamente com o seu lado inconsciente. Com isso, você será capaz de gerar mudanças nas formas como sua mente processa as coisas.

Dentro da PNL, esse processo é chamado de modelagem.

Modelagem, em resumo, seria aprender como os “melhores dos melhores” fazem o que fazem. Com isso, desenvolve-se a estratégia de comunicação, gerenciamento de estados emocionais, aprendizagem e mudanças comportamentais.

Modelagem é entender e estruturar para então replicar o que determinado indivíduo faz bem.

A programação neurolinguística é isso, ser capaz de replicar as modelagens de sucesso. Logo, ser capaz de controlar a forma como você se comunica com você mesmo e com os outros.

A programação é a forma como nossa mente processa as informações.

O neuro representa a forma como são captadas essas informações, além da forma como nós manifestamos aquilo que está programado em nós. Sendo assim, nossa realidade interna, resultado da nossa programação.

Por fim, a linguística, nada mais é do que as palavras e padrões de linguagem que utilizamos para dar significado as coisas

  “A PNL é um modelo poderoso e explícito de experiências humanas e de comunicação. Usando os princípios da PNL é possível descrever qualquer atividade humana de maneira detalhada que permite fazer muitas mudanças profundas e duradouras, de forma rápida e fácil.”  Steve Andreas.

Dito isso, esperamos que você já tenha percebido que é a PNL é uma estratégia, uma ferramenta e, até, um estilo de vida.

Sendo um modelo de desenvolvimento pessoal, a programação neurolinguística apresenta 4 pilares fundamentais. Que discorreremos a seguir:

1. Rapport

É uma sintonia profunda com outra pessoa, a ponto de igualar-se a ela. O estado de rapport faz a pessoa fluir totalmente.

Duas pessoas em estado de rapport movimentam-se da mesma forma, falam as mesmas gírias, até mesmo acabam por falar a mesma palavra ao mesmo tempo.

Sem rapport é impossível praticar a programação neurolinguística. Visto que, você precisa de rapport para compreender o modelo de mundo da outra pessoa, para então entender a estratégia usada por ela.

Confira mais sobre a importância do Rapport.

2. Meta

Visto que a PNL é totalmente voltada para resultados, é necessário ter sua meta/o resultado esperado em mente.

Deve-se focar no objetivo final, claro e muito bem definido.

3. Acuidade Sensorial

Nada mais é do que a capacidade de refinar seus próprios sentidos. Ou seja, conseguir perceber e fazer distinções daquilo que estamos fazendo.

Assim, na PNL, a acuidade sensorial se relaciona com a capacidade de perceber se o que estou fazendo está funcionando.

Se tenho uma meta a ser alcançada, realizo diversas ações para conquistá-la. Portanto, a todo momento devo me questionar se estou me aproximando do meu objetivo ou não e com a acuidade sensorial trilhar o caminho a ser seguido.

4. Flexibilidade

Atrelado à acuidade sensorial, está a flexibilidade.

Nada mais é do que realizar uma abordagem diferente, se o que você está fazendo não está funcionando.

Assim, busque abordagens diferentes e continue até alcançar sua meta.

Por fim, acreditamos ter sido possível discorrer sobre o que é programação neurolinguística de forma clara e rápida.

Logo, sua aplicação como ferramenta de desenvolvimento pessoal pode ser extremamente útil.

A PNL está intimamente ligada aos canais de comunicação. Quer saber onde você se encaixa nisso?

Clique aqui e faça o teste gratuito!